Feeds:
Posts
Comentários

Oi oi gente!

Gracas a meu  querido amigo Eddie que viria me visitar decidimos fazer um programa mais animado e passar um dia em NY, so que infelizmente ele ficou preso no aeroporto. Nao conseguiu pegar o voo e como era uma sexta-feira 13 tudo que tinha que dar errado, deu. hahahaha Resultado? Acabei indo para NY com o Sean. Vamos contar como foi essa loucura!

4:30 da manha: Eu acordei para poder arrumar as coisas e acordar o Sean ja que ele mora um pouco longe e teria que dirigir uns 40 minutos ate minha casa para me buscar.

5:30 a.m: Encontrei com o Sean, e ele foi dirigindo ate a estacao de trem.

6:00 a.m: Chegamos na Philadelphia e ja fomos para a fila do onibus que nos levaria ate NY (partida: 6:30)

9:15 a.m: Chegamos em NY. Atravessamos a rua para comecar o nosso dia com um cafe da manha reforcado. Gigi’s cafe. Lugar muito bom, tranquilo, preco acessivel e comida boa! =)Imagem

 A partir do cafe da manha nao sei mais como ficaram as horas. hahaha Mas sei dos eventos entao vamos la. Como nao tinhamos muito tempo, acabamos nao entrando em lugar nenhum para ver as exposicoes, mas foi divertido de qualquer maneira. =)

1) Madison Square Garden

Imagem

 2) NY Public Library (Aqui eu fiquei muito tentada a entrar, estava rolando uma exposicao da Mary Shelley)

Imagem

3) Do ladinho da biblioteca fica o Bryant Park, entao fomos dar uma conferida. Durante o verao acontecem varias atracoes gratuitas nesse parque.

Imagem

4) Grand Central Station. Fato engracado: Enquanto andavamos para la um monge budista nos parou e comecou assim: “Hey, (estendeu um bloquinho de anotacoes) sign your name, please. Sign that you come in peace. (ele mostra a foto da fundacao de um predio e pergunta numa escala de 0 a 100 o quanto que a musica me ajuda, eu fui e anotei 60. Ele me deu uma pulserinha e um cartaozinho de buda, ja ia eu indo embora ne, ai ele aponta para o bloquinho e diz: “money, give me money for the poor people” ele queria freakin’ 60 dolares? Nooooo way. Risquei o caderninho e dei 20 dolares. Quando eh para ajudar, 20 tah muito bom. Apesar do Sean ter ficado revoltado acabou cedendo e dando 20 tambem. E essa virou a nossa piada pro resto do dia. O Sean imitava o monge e a gente caia na gargalhada.

Imagem

5) Chrysler Building. Construindo em 1928-1930, o predio de 77 andares representa um dos maiores predios e glorifica a industria automobilistica.

Imagem

6) Saint Patrick’s church

Imagem

7) Top of the Rock parte de tras

Imagem

 8) M & M’s store

Imagem 

10) Times Square

Imagem

11) Disney Store

Imagem

12) Alugar bicicletas + pedalar pelo Central Park

Imagem

Imagem

13) Tartan Parade

Depois coloco um video separado porque as fotos nao ficaram boas.

14) Ferry to Staten Island

Liberty Statue

Imagem

Manhattan  View

Imagem

 

Brooklin Bridge

Imagem

 

Depois desse passeio super agradavel de barco, corremos para pegar o metro de volta para irmos embora. Chegamos no ponto de onibus as 18:15 da tarde. Encontramos um grupo de brasileiras no onibus, conversamos agradavelmente a viagem toda de volta. Chegamos na estacao de trem as 21 p.m. Fomos jantar num restaurante Thailandes, pedimos Stir Fried Crab Rice que diga-se de passagem eh divino. Depois do jantar vim correndo para casa, pois o que eu mais precisava era tomar um bom banho quente e ir dormir!

O dia foi bem casativo, mas valeu a pena! =) 

 

Empire State Building

Morar em outro pais parece ter um apelo bem glamuroso, não eh? Sim e nao. hahaha

Fico pensando que eu sempre achei que seria fácil e na verdade não eh tão difícil assim como poderia ser/como eh para algumas pessoas.

Claro que você passa por varias fases. Falemos um pouco delas:

1) Voce não acredita em nada que esta te acontecendo, mesmo que voce se beslique, a realidade parece nao fazer parte da sua visao.

2) Felicidade indescritivel por estar afastada de tudo que te fazia mal e que se voce estivesse perto nao poderia se afastar facilmente.

3) Frustracao por realizar as diferencas e perceber que tudo aquilo que voce idealizava nao passava de uma criacao da sua mente.

4) Second thoughts sobre a sua decisao de largar tudo e vir para ca. Comeca a passar pela sua cabeca a ideia de voltar mais cedo para casa.

5) Voce coloca na balanca tudo que anda acontecendo na sua terra, como era sua vida la, se vale mesmo a pena voltar e cai a ficha que a sua vida aqui eh infinitamente melhor e ate os pequenos gestos que voce faz sao reconhecidos pelos os que estao a sua volta.

6) Voce se pega pensando na possibilidade de nao mais voltar e comecar tudo de novo por aqui, mas ai voce lembra das pessoas que existem la e da aquela fraquejada na decisao. E voce fica nesse vai-nao-vai por um bom tempo.

Eh impressionante como voce acorda de um jeito num dia e no dia seguinte eh completamente diferente.

O que eu percebi depois que vim para ca:

* As pessoas do Brasil comecaram a dar mais valor, requisitar mais minha atencao e contato.

* Os fantasmas que vivem no meu passado resolveram voltar para assombrar. Como se a minha nova localizacao geografica tivesse um gatilho poderosissimo que fizesse com que eles sentissem necessidade de reconquistar minha amizade mesmo depois de terem me magoado infinitamente e ainda se acham no direito de dizer que eu estou sendo injusta por nao aceitar.

* Por mais que voce fale que nao vai mudar, voce muda. Nao tem jeito. Ou voce muda ou voce sera engolida viva por suas memorias e pensamentos. Com o passar dos dias tentei me afastar um pouco mais do que eu deixei para tras para nao ficar revivendo a dor da partida over and over again. Sou muito mais forte e fria por assim dizer. Minha honestidade tem atingido niveis inimaginaveis.  Antigamente eu sempre relevaria o que quer que tenha me acontecido e perdoaria qualquer um que tivesse me magoado, passaria por cima de tudo, independente do que a pessoa tenha feito. Agora nao eh bem assim nao. Eu foco nas lembrancas que aquela pessoa me traz, se trouxer lembrancas muito amargas, nao adianta nem dizer o quanto voce quer tentar recuperar que nao vai funcionar. Para que correr o risco de cair na mesma armadilha? Baixar a guarda para apanhar de novo? Nao, nao.

* Praticidade e objetividade. Quer me companhia? Otimo! Nao quer? Proximo(a) da lista! Nao vou entrar em joguinho paranoico de amigos, nem ficar acompanhando em programas que nao me interessam. Sou muito leal, mas parei com essa coisa de fazer qualquer coisa para desfrutar a companhia de amiga(o). Acredito que um pouco de coisas em comum sejam melhores do que ficar entrando em conflito.

* Dou atencao para quem me da atencao. Nao vou ficar correndo atras de ninguem. Nao eh por que eu estou em outro pais, longe da minha familia e amigos que eu vou precisar de alguem me aplaudindo constantemente para ser feliz.  Um bom livro, uma taca de vinho, cobertas e dvds bastam. Se nao bastarem, opa, bora procurar outra coisa para fazer para preencher as horas vagas. Que tal parar de adiar aquele post do blog? Ou um novo roteiro de viagem? Ou conhecer novas pessoas?

O que tem me ajudado muito aqui eh sempre manter na cabeca que eu vim para ca para trabalhar, conhecer lugares novos e vivenciar a cultura americana e eh isso que eu vou fazer. NADA eh perfeito. A minha familia aqui tambem nao seria, mas a gente se entende. Obvio que como todas as familias tem os seus altos e baixos, mas se voce se manter focada acaba conseguindo passar por cima de tudo isso. O que realmente conta eh chegar no fim de um dia com os bebes rindo para voce ou um sorriso de agradecimento da sua host mom ou ganhar um beijo na testa do seu host dad antes de ele ir trabalhar.

Cada dia descubro um pouco mais de mim e fico pensando na infancia conturbada, nas relacoes problematicas com os pais, nas coisas nao resolvidas e em tudo que ja passei e me sinto uma vencedora por nao ter sucumbido como muitos da minha idade. Sou muito agradecida por ter tido um Deus muito grandioso e justo que sempre me ajudou a superar cada queda, nao sem cicatrizes, mas pronta para a proxima batalha. A vida eh uma guerra e eu estarei preparada para todos os confrontos, pois foi para isso que eu vim aqui e ajudar meus irmaos que nao estao preparados sera uma meta.

Entao eh isso ai!

Pessoas que conheci desde que aqui cheguei:

Teodora, Suzi, Goni, Besnik, Bano, Mary H., Steve H., Frank, Israel, Sean, Tati, Laiany, Luara…

USA, Bring it on!

E o grande dia chegou! Meu ultimo dia foi uma completa loucura!

Acordei com aquela ansiedade típica de quem esta prestes a dar um grande passo na vida e um gosto amargo de quem precisa se afastar da pessoa mais importante na vida e não quer que isso aconteça. Enfim. Acordei, abracei meu amor, choramos no meio desse abraço, juras de amor, café da manha, correria para terminar o trabalho que tinha que entregar no treinamento em NJ, sair para almoçar com os pais, voltar, me despedir de uns amigos: Matheus (El fiel escudero), Antonio, Eri, Ieda, meu cunhado. Me despedir da pessoa que me inspirou a seguir a carreira do magistério (Anjinha Filomena), imprimir o projeto, terminar de jogar minhas coisas na mala e correr para o aeroporto. discussão no carro com a mãe (como sempre hahaha), sinto as mãos de meu amado entre as minhas e tudo me acalma, só de estar ao lado dele sinto que sou mais forte.

Cheguei no aeroporto, me dei conta de a data de validade do meu visto estava errada, venceria no mês seguinte (problema para resolver aqui, fazer o que? Greve maldita dos correios), o Rafa Peixoto, minha afilhada, com Michel, Carol e Ade, Bruno Mendonça foram la para se despedir de mim. Nao consegui conter o choro, sou manteiga derretida mesmo, pronto, falei! hahaha

Na verdade, não queria olhar para trás, estava tentando bloquear todos os meus sentimentos, pois eu sabia o quanto iria doer se eu tentasse senti-los antes  de partir.

E parti com destino ao desconhecido. Cheguei nos EUA doente! hahahaha. Aparentemente, nao me dei muito bem com aviao. Na verdade, eu odeio viajar de aviao! uahuahuahu. Desconfortavel, turbulencia a noite toda, etc. Pelo menos a comida era boa! uauahuahauha

Hotel primeira semana: Doente, fui parar na clinica na quarta, tive uma bronquite e infecção de garganta, um bando de remédios e poucas amizades. Nao dava pra ficar conversando e sendo feliz quando você estava miserável por dentro. Pelo menos fico feliz com a que eu fiz. Laiany e Lilian, dividimos o quarto de hotel nos primeiros dias.

Chegou o dia de ir embora: sexta. Voce já estava acostumada a rotina do hotel, a ver as mesmas pessoas (exceto pela maioria delas que partiram na quinta, só fica na sexta quem eh do programa de especialização em recem-nascidos), a ansiedade de ver sua host family pela primeira vez, as expectativas e as esperanças de que eles sejam o que eles disseram ser e tudo mais. A Amy veio me buscar, eu estava sentada no chão da sala, quando ela saiu do elevador e me viu, veio em minha direcao e me deu um abraço, fiquei feliz de ter escolhido ela. =)

2 horas de viagem e muito papo ate chegarmos na casa dela, meu quarto estava arrumadinho, bonitinho, com uma colcha que eu amei e bebes fofos me esperando! =)

Parece que foi ontem, mas já estou aqui há quase 3 meses. Depois faço um post falando um pouco mais como foi ate agora.

Saudades, Brasil!!!

Oláaaa! É… Vamos contar como foi o V day.

Eu li muito em blogs sobre ele, pediram pra deixar tudo organizado, consegui declarações da faculdade, do trabalho, tudo que vocês possam imaginar!

Tentei não me preocupar tanto, mas acabei exagerando e comendo um pouquinho a mais, graças a minha ansiedade. No fundo eu sabia que nada aconteceria se Deus não quisesse. Então tentei relaxar. Deixei toda a documentação organizada, e me preparei. Marquei com o Brunito às 8h nas barcas, só que eu me atrasei. Perdi a primeira barca, me perdi do Bru, depois o achei, fomos correndo até o consulado. Cheguei lá às 9h07m, e minha entrevista estava marcada para às 10h30m, fiquei esperando, as auxiliares do consulado me ajudaram a separar as documentações, entrei no consulado. (Lembrem-se nada de celulares no consulado, nem eletrônicos), tem uns caras ali que guardam seu celular por 4 reais, entretanto, é melhor não confiar, né?
Entrei, minha bolsa passou pelo aparelho, entrei, peguei a senha e em menos de 10 minutos fui chamada. Passei para o guichê onde colocava as digitais e depois fiquei em pé esperando na fileira dos guichês de entrevista.
Primeiro aspecto que eu estranhei: Eu tinha idealizado várias salas, um cônsul de cara fechada, uma entrevista sinistra, quando na verdade era aquela fileira de guichês.
Estava eu esperando minha vez quando passou uma mulher chorando, pois tinha tido seu visto negado, fiquei suuuuper tensa! Mas confiei e disse pra mim mesma 3 vezes: “I’ve got my VISA”

Seguindo as regras: Fui muito arrumada, com todas as documentações, e um sorriso enorme.
Cheguei no guichê com o sorriso aberto e todos os papeis na mão, vou tentar transcrever o que houve:

Cônsul(C): Olá, Bom dia.

Me (G): Bom dia.

C: Quantos anos?

G: Twenty-one

C: Pra onde você vai?

G: US – Pennsylvania

C: Por que você quer ir?

G: Because it’s a chance that I will take to improve my english and become a good teacher of english.

C: O que você faz?

G: I am an English Teacher in a private course.

C: Você está trabalhando agora?

G: Yes, I have my documentation here (passei a carteira de trabalho pra ela, e peguei a declaração da minha chefe para mostrar a ela)

C: Não precisa. Pronto – Seu visto foi concedido – Só pagar a taxa do SEDEX e esperar ele chegar.

G: Thank you. Have a good day.

Sai do guichê com aquela cara de pateta! auhauhauah Rindo sozinha, nem acreditei! Foi perfeito e fácil!

Meninas e meninos que vão tentar tirar o visto, tentem ir para o guichê da senhora de cabelos pretos e óculos, ela é super doce e só fala em português.

Saindo do consulado é só ir na rua de trás pagar a taxa do SEDEX. No meu caso foi o SEDEX 10 e saiu a R$ 28,30.

I’VE GOT MY VISA!!!!!!!!! THANKS GOD!

PID – Detran RJ

Boa tarde, queridas futuras Au Pairs. =)

Vim aqui hoje, colocar o passo-a-passo para vocês que desejam tirar a PID – Permissão Internacional de Direção. Que nos é requerida no programa.

Isso vale para o Detran do RJ.

Beijinhos!

Permissão Internacional para Dirigir (PID)
 O que é?

É a emissão da permissão para dirigir nos países signatários da Convenção de Viena (ver lista de países no final desta página). Apenas motoristas habilitados e com Carteira Nacional de Habilitação (CNH), dentro do prazo de validade, podem obter a PID. A validade do novo documento será a mesma da CNH.

 Documentação

Para quem tem CNH com foto, emitida no Estado do Rio de Janeiro:

 original e cópia do documento de identificação, com registro da naturalidade (preferencialmente carteira de identidade).
 original e cópia da Carteira Nacional de Habilitação.
 original do comprovante de pagamento da taxa de serviço.

OBS.: A PID é emitida 24 horas depois de o motorista entregar a documentação exigida para a realização do serviço.

 Taxa de Serviço

 Valor (Duda): (cod.:204-6) R$ 90,30 + taxa bancária

OBS.: Se o usuário pagar o Duda em dinheiro, o serviço será agendado após 24 horas. Se for pago com cheque, somente seis dias depois. Esses são os prazos para o banco registrar os pagamentos e comunicá-los ao Detran-RJ.

 Procedimentos

Pagar a taxa de serviço.
Agendar a entrega da documentação pelo site do Detran-RJ (clique aqui) ou pela Central de Atendimento. O agendamento, pela Central de Atendimento, deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, pelos números: 0800-0204041, no caso dos moradores do interior, ou 3460-4040 / 4041, para os moradores do Rio e Grande Rio.
 O serviço será agendado apenas para o Posto Sede do Detran-RJ (Avenida Presidente Vargas, 817, sobreloja).
 Comparecer ao posto no dia e horas marcados, com a documentação necessária.

OBS.:1) Caso a CNH do motorista esteja vencida, será preciso solicitar o serviço de Renovação do Documento antes da emissão da PID.

2) O motorista que possui carteira sem foto deve solicitar um novo documento, com foto, conforme modelo atual, antes da emissão da PID.

3) Antes de solicitar a PID, o motorista com CNH emitida em outro estado do Brasil deve providenciar, no próprio Detran-RJ, a transferência do cadastro para o estado do Rio de Janeiro. Depois de concluída a transferência, o próximo passo é requerer a emissão de nova CNH pelo Detran-RJ. Em seguida, o motorista pode solicitar a PID.

4) A PID é a cópia fiel da CNH. Caso o motorista necessite alterar algum dado da carteira nacional, será preciso, primeiro, solicitar a atualização da CNH

Olá meninas que estão passando pelo processo de Au Pair ou pensando em passar por isso.

Assumo que a pior parte de todas é a ansiedade até o bendito Match! E quando a gente recebe o email do Match, a gente pensa que as coisas vão se ajeitar. Quem dera! Impossível! Sabe por quê? Pois aí, começa um dos seus maiores problemas: O dia do visto!

No meu caso as coisas estão um pouco mais estranhas, pois os correios e os bancos estão em greve, ou seja, nada do meu DS chegar e a minha data de embarque já foi marcada… Então o que fazer? Chorar? Claro claro, é inevitável… Mas depois começar a pensar claramente no que pode ser feito.

Bom, primeira opção para quem está fazendo faculdade ainda e trabalhando assim como eu. Se dedique às atividades atuais (isso vai aliviar um pouco o estresse, até por que nesse caso não tem muito o que se fazer mesmo, não está em suas mãos a documentação chegar.)

Segunda opção: Passar tempo com os seus familiares e com aqueles que você ama, já que você passará de um a dois anos fora do país.

Terceira opção: Começar a fazer o seu Pre-Departure Project, que é obrigatório para a conclusão do nosso treinamento em NJ.

Quarta opção: Planejar as despedidas…. Parte mais legal!

Meninas, gostaria de dividir com vocês a minha experiência como futura au-pair a partir de agora, se alguém tiver alguma dúvida, ou um post específico, é só pedir!

Beijos e Muita sorte para gente nessa nova empreitada!